• Arquidiocese de Pelotas

VOCAÇÃO DIVINA


Mês de agosto. Mês que dedicamos uma atenção especial ao chamado divino, ao

silvo suave do Bom Pastor que chama Suas amadas ovelhas.

A vocação divina começa quando somos chamados à vida. Deus nos criou com a

participação de nossos pais. Não importa como tenha sido.

A segunda vocação para nós cristãos é o chamamento divino a seguir os passos de

nosso Mestre e Senhor Jesus. Vocação à vida da graça, vocação à santidade.

Dentro desta vocação geral á vida cristã temos as vocações específicas: vocação matrimonial, vocação de especial consagração e vocação ao ministério ordenado (diáconos, presbíteros e bispos).

A vocação divina é um sinal evidente de amor e amizade. É por isso que o Senhor chama. Portanto a dimensão vocacional da nossa vida é - deve ser - transbordamento de Amizade divina e humana, de Amor divino e humano. É uma tremenda aventura que tende para um "quê" de plenitude, apesar de ainda experimentarmos a precariedade da vida terrena.

Diante desta certeza é necessário insistir que discernir a vocação divina para minha vida é o que tem de mais importante e decisivo. O Senhor pensou-me eternamente com tais e tais características, em determinado momento da História, neste lugar que vivo, para uma missão que Sua Providência concretiza. Como Deus é amor e é onisciente, Seu desejo sobre minha pessoa é o melhor para mim. É o que me fará muito feliz. Seguir a vocação divina é mais importante que qualquer outro plano pessoal que não considere o chamado de Deus.

No entanto, o Senhor quer que respondamos ao Seu chamado com a mais absoluta liberdade. Saber o que o Senhor quer e decidir livre e pessoalmente por aquilo que Ele quer. Sem uma resposta livre não haveria amor. E o amor é o fundamento e a essência de todo e qualquer chamado de Deus, bem como da correspondente resposta humana.

Ajudar as crianças e os jovens - filhos, netos, sobrinhos, afilhados, catequisandos, coroinhas, amigos, colegas... - descobrirem o desejo de Deus sobre suas vidas é o mais belo, importante e verdadeiramente decisivo para eles. Ensiná-los igualmente a terem gosto por entregar a vida, viverem a liberdade com responsabilidade.

Pode ser que nunca tenha buscado saber qual a vontade de Deus sobre minha existência, ou que sabendo não a tenha respondido, ou ainda que tenha respondido por um tempo, e depois a abandonado. O Senhor continuará me amando da mesma forma. Perdi coisas grandes que o Bom Deus quereria que vivesse, é verdade. No entanto, como no GPS ou no Waze, quando estou perdido e volto a procurá-Lo buscando Sua Vontade, Ele como que "recalcula a rota" dando-me voltar a participar da Sua Vida e proporcionando a alegria de seguir Seus Santíssimos desígnios de maneira a chegar à Sua meta.

Como Deus é bom! As vocações fazem parte deste Amor infinito.

Pe. Darvan Hernandez da Rosa - Pároco da Paróquia Santo Cura d'Ars e Diretor Espiritual do Seminário São Francisco de Paula.


26 visualizações
  • Facebook ícone social
  • Instagram
  • YouTube