• Arquidiocese de Pelotas

Arquidiocese determina medidas de prevenção públicas contra a pandemia do COVID-19



DECRETO


Aos que este Nosso Decreto virem, Saudação, Paz e Benção no Senhor da Vida!


Amados e amadas de Deus!


Considerando os Decretos Federal, Estadual e Municipal acerca das medidas preventivas públicas contra a pandemia do COVID-19;


Considerando que o Pastor arquidiocesano, a teor do cânon 87 &1 do Código de Direito Canônico, pode dispensar os fiéis do cumprimento das leis disciplinares em seu território;


Considerando o grave perigo de contaminação em se tratando de aglomeração de pessoas; colaborando com as autoridades públicas governamentais; e em acréscimo às nossas “Orientações” anteriores de 03 de março de 2020, dispomos o seguinte, no prazo de 15 dias, a partir desta publicação(havendo necessidade de algo contrário neste prazo, terá novas disposições):


No âmbito da Arquidiocese, das Áreas Pastorais, das Paróquias e das outras instâncias eclesiais (Pastorais, Movimentos, Setores e Organismos) está suspensa a realização de reuniões, escolas de formação, encontros, assembleias, seminários e outros eventos que contribuem para aglomerar pessoas; igualmente a realização de promoções religiosas, culturais e sociais; havendo possibilidade, remarque-se as atividades já previstas;


Em relação às Celebrações Litúrgicas:

a) Todos os fiéis estão dispensados da obrigação prevista no cânon 1247 no Código de Direito Canônico de participar das Celebrações Eucarísticas e/ou Celebrações da Palavra dominicais e nos demais dias de preceito (ficam suspensas as Celebrações nas Comunidades Eclesiais);

b) Na opção da não-participação da Celebração Eucarística, recomenda-se vivamente acompanhá-la pelos Meios de Comunicação da Arquidiocese (RU, Fan Page da Arquidiocese no Facebook e Rádios locais e comunitárias) e das demais Mídias Católicas Nacionais, fazendo da Comunhão Espiritual um importante instrumento de comunhão eclesial e santificação pessoal;

c) Com a ausência de fiéis, rogamos aos Presbíteros que celebrem diariamente a Eucaristia conforme o cânon 904 do Código de Direito Canônico, o qual nos recorda o valor dessa Celebração como “ato de Cristo e da Igreja” e que consiste no “centro vital do ministério presbiteral”;

d) Ligadas às Celebrações Eucarísticas, sejam suspensas as novenas, tríduos, procissões;


Em relação aos Sacramentos do Batismo, Reconciliação, Matrimônio e Unção dos Enfermos:

a) Sejam celebrados somente Batismos de emergência;

b) Não sejam realizadas Celebrações Penitenciais Comunitárias, mantendo-se neste Tempo da Quaresma as Confissões Individuais dentro dos cuidados de não-contágio;

c) Com Matrimônios já agendados, haja um diálogo com os noivos a respeito da conveniência da sua celebração pública e um possível adiamento;

d) Tenha-se um zelo samaritano com os idosos e doentes, eles solicitando aos presbíteros e diáconos a administração da Unção dos Enfermos e do Viático;


Em relação ao trabalho catequético:

a) Recomenda-se o adiamento dos Encontros Catequéticos;

b) Propõe-se, vivamente, nesse Tempo de Exceção, a oração pessoal, a oração em família, a Leitura Orante da Palavra de Deus com a Lectio Divina, a reza do Rosário, a leitura de livros espirituais, o estudo da Doutrina Católica e de outros atos de cultivo da espiritualidade;

c) Tenha-se a criatividade de achar meios e formas de evangelização que não vão em contramão às orientações sanitárias estabelecidas;


5º Em relação aos funerais e exéquias:

a) Os Ministros que se encontram no grupo de risco procurem não presidi-las;

b) Em caso de exigência da parte de familiares da pessoa falecida, observem-se as determinações, especialmente, de número de pessoas e distância entre elas;

c) Havendo a possibilidade, façam-se os ritos ao ar livre;


Recomendações:

a) Prevaleçam as “Orientações” anteriores, publicadas no dia 03 de março passado: “receber a Sagrada Eucaristia nas mãos” (a comunhão com o Corpo de Cristo torna-se comunhão com o Corpo do Irmão, cuidando da sua vida evitando contaminação); “suspender o abraço da paz” e “não se dar as mãos na oração do Pai-Nosso”; acresce-se a essas orientações o não uso da água benta na entrada do templo;

b) Os templos, tanto quanto possível, permaneçam abertos, higienizados e arejados para a súplica pela humanidade;

c) Estimule-se a atenção e cuidados às necessidades de familiares e vizinhos em possíveis quarentenas domiciliares;

d) Redobre-se cautela para não compartilhar notícias falsas (fake News) e alarmantes; a mentira prejudica o enfrentamento da doença, gera pânico desnecessário e agrava a situação de exceção; é oportuno checar cada informação recebida e não tão logo propagá-la.


Vivemos uma pandemia que não foi querida por Deus, mas por Ele permitida; isso também nos chama à conversão para os valores eternos. É tempo de reconstruir a esperança viva, promover a solidariedade samaritana, viver a comunhão no essencial e incentivar a oração confiante; é tempo de ousada criatividade para construir o Reino de Deus.


Rezemos pelas autoridades, profissionais de saúde e vítimas do COVID-19. Deus nos ajude, por intercessão da Mãe de Guadalupe, a superarmos essa crise que atinge a todos nós indistintamente.


Dado e passado em nossa Cúria Arquidiocesana, aos 18 dias do mês de março de 2020.


Dom Jacinto Bergmann,

Arcebispo Metropolitano de Pelotas.


Pe. Luiz Estanislau Schiavon Zanetti,

Chanceler da Cúria.

480 visualizações

Av. Domingos de Almeida 3150 - Areal - Pelotas

(53) 3225.8055

sitearquidiocese@gmail.com

Site desenvolvido em 2017 para Mitra Arquidiocesana de Pelotas.