Pastoral Carcerária

Missão
Ser presença de Jesus Cristo e da Igreja Católica no cárcere e promover a valorização da dignidade humana.

 

Objetivo Geral
Levar o Evangelho de Jesus Cristo às pessoas privadas de liberdade e zelar para que os direitos humanos e dignidade humana sejam garantidos no sistema prisional.

 

Objetivos Específicos
Levar o Evangelho de Jesus Cristo aos cárceres e colaborar para que os direitos
humanos sejam garantidos, através de denúncias, bem como propostas de medidas de conciliação e paz; Conscientizar a sociedade para a difícil situação do sistema prisional; Promover a dignidade humana; Motivar a criação de políticas públicas que zelam pelo respeito aos Direitos Humanos.

 

Resumo histórico da Pastoral Carcerária
A Pastoral Carcerária nasceu com o próprio Jesus Cristo. Ele mandou que os cristãos
visitassem os presos e Ele mesmo foi um preso. Depois dele, os apóstolos também
foram presos, recebiam visitas e se correspondiam por cartas com os demais cristãos.
Essa solidariedade dos cristãos com os presos, que hoje chamamos de Pastoral
Carcerária, nasceu com o próprio cristianismo e cresceu espontaneamente, pois onde existisse uma prisão, havia voluntários visitando os encarcerados.
No entanto, somente na Idade Média, a partir dos séculos XI e XII, nasceram grupos
organizados para visitar e resgatar as pessoas encarceradas. Com a expansão do número de cárceres, principalmente, após ascensão da prisão como principal forma de punição, a Pastoral Carcerária cresceu, uma vez que ela sempre se compôs de cristãos que se organizam e voluntarizam para o atendimento às pessoas privadas de liberdade.