• Arquidiocese de Pelotas

Prece de Salomão e Prece do Político




No livro bíblico da “Sabedoria”, atribuído ao rei Salomão, encontramos no capítulo 9 a “Prece de Salomão pela Sabedoria”. Só para lembrar: a Sabedoria bíblica é a “arte do discernimento para a vida” (a não-sabedoria é o discernimento para a morte). Essa “arte do discernimento para a vida” atinge todas as dimensões humanas. Também a dimensão da Sabedoria política enquanto “discernimento para a vida do bem comum” (jamais o discernimento para a morte do bem comum).

O rei Salomão é considerado o “grande rei sábio”: pediu a Sabedoria e reinou com a Sabedoria. Já no capítulo 8 do livro bíblico da “Sabedoria”, Salomão afirma a sua conduta em relação a Sabedoria de Deus: “Eu amei a Sabedoria, busquei-a desde a juventude e a pretendi como esposa, apaixonado pela sua beleza” (8,2). “Decidi, pois, tomá-la por companheira de minha vida, sabendo que me seria conselheira para o bem e conforto nas preocupações e na tristeza” (8,9). “Conhecedora da ciência de Deus é a Sabedoria quem seleciona a suas (de Deus) obras” (8,4).

A partir dessa conduta do rei Salomão, vem, então, no capítulo 9 do livro bíblico da “Sabedoria”, a sua “prece pela Sabedoria”. Essa prece não deveria ser a prece de cada político de todos os tempos para “governar” com a Sabedoria? É urgente termos “governantes sábios”, como foi o rei Salomão.

Proponho seguirmos Salomão em sua súplica pela Sabedoria, assim como ele a expressou no capítulo 9 do livro da “Sabedoria”. E inspirado nessa sua “Prece pela Sabedoria”, deixarmos explícita uma possível prece de cada político escolhido para o seu exercício com a Sabedoria.

Salomão: “Ó Deus de meus pais e Senhor de misericórdia, tudo fizeste com a tua Palavra, com tua Sabedoria criaste o ser humano e com tua Sabedoria governas o mundo com santidade e justiça” (9,2-3). Político:Dai-me consciência, ó Senhor! Eu preciso de Deus criador, santo e justo.

Salomão: “Dai-me a Sabedoria que se assenta contigo no teu trono e não me excluas do número dos teus filhos” (9,4). Político: Dai-me clareza, ó Senhor! Eu dependo da Sabedoria de Deus.

Salomão: “Por mais que alguém dentre os mortais seja perfeito, se lhe faltar a tua Sabedoria, será considerado com nada” (9,6). Político: Dai-me compreensão, ó Senhor! O que sobra de mim se faltar a Sabedoria?

Salomão: “Tu me escolheste para rei do teu povo e juiz dos teus filhos e filhas” (9,7). Político: Dai-me forças, ó Senhor! A beleza do meu serviço ao bem comum é a escolha da Sabedoria de Deus.

Salomão: “A tua Sabedoria sabe o que é agradável aos teus olhos e o que é correto conforme os teus preceitos” (9,9b). Político:Dai-me sensibilidade, ó Senhor! O que agrada e é correto para Deus, isso dá alegria.

Salomão: “Manda a Sabedoria dos teus sagrados céus e faze que ela venha do teu trono glorioso e eu saiba o que é agradável diante de ti” (9,10). Político: Dai-me abertura, ó Senhor! Estar imbuído da Sabedoria de Deus me faz ser “um artista do bem comum”.

Assim, eis a prece salomônica do político: “Dai-me consciência, ó Senhor! Eu preciso de Deus criador, santo e justo. Dai-me clareza, ó Senhor! Eu dependo da Sabedoria de Deus. Dai-me compreensão, ó Senhor! O que sobra de mim se faltar a Sabedoria? Dai-me forças, ó Senhor! A beleza do meu serviço ao bem comum é a escolha da Sabedoria de Deus. Dai-me sensibilidade, ó Senhor! O que agrada e é correto para Deus, isso dá alegria. Dai-me abertura, ó Senhor! Estar imbuído da Sabedoria de Deus me faz ser “um artista do bem comum. Amém!”

Dom Jacinto Bergmann, Arcebispo Metropolitano da Igreja Católica de Pelotas.

10 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
  • Facebook ícone social
  • Instagram
  • YouTube